PROTENSÃO NÃO ADERENTE

A protensão não-aderente é uma tecnologia para sistemas estruturais amplamente utilizada nos Estados Unidos desde a década de 60. Devido a sua versatilidade, essa solução rapidamente se difundiu pelo mundo.

Primordialmente, têm-se as mesmas vantagens dos outros sistemas de protensão: estruturas com deformação e fissuração controladas com emprego mais eficiente do concreto e do aço, permitindo secções com dimensões esbeltas, vãos maiores e custos reduzidos.

Essas vantagens comparativas advém das características do sistema não-aderente: dispensa o uso de bainha metálica e a posterior injeção de nata de cimento. A operação de protensão fica simplificada e mais eficiente, tendo em vista que os macacos hidráulicos e o sistema de ancoragem foram especialmente projetados para níveis leves de protensão.

Essa tecnologia vem sendo empregada no Brasil desde 1997, com o início da fabricação das cordoalhas no país pela Siderúrgica Belgo Mineira.

A Impacto foi a pioneira na utilização desta técnica no país, já tendo executado, com grande aceitação, centenas de empreendimentos em todo território nacional.

Vantagens da protensão não aderente:

vãos-maiores.png
  • Redução do número de pilares;
  • Maiores vãos;
estrutura-esbeltas.png
  • Peças estruturais mais esbeltas;
  • Maior durabilidade da estrutura;
lajes-planas.png
  • Otimização da mão de obra;
  • Possibilidade de criar lajes planas.
 
PROJETO.png

CONSULTORIA E ANÁLISE DE PROJETOS

A Impacto, após 20 anos de experiência, formou uma equipe especializada em projetos de estruturas protendidas que poderá oferecer a melhor solução para seu projeto.

Envie seu projeto para nosso Centro de Consultoria em protensão o adquira um estudo gratuitamente!

CORDOALHA

Com soluções para protensão aderente e não aderente, a Impacto trabalha com cordoalhas nuas ou engraxadas.

A cordoalha engraxada para protensão não aderente possui uma camada de graxa e é revestida com uma bainha plástica de PEAD (polietileno de alta densidade). Essas características, além de inibirem a corrosão, são fundamentais para diminuir o atrito entre a armadura ativa e a bainha plástica, permitindo o deslizamento da cordoalha no interior da bainha.

imagem-manual-protensao-04.png
 
tabela cordoalha.png
 
 

EQUIPAMENTO

A protensão é feita por meio de macacos hidráulicos, que se apoiam na placa de ancoragem ou na placa de apoio. No caso das cordoalhas engraxadas é protendido um cabo por vez, o que permite o uso de equipamentos de pequeno porte e relativa leveza. Os macacos são oferecidos geralmente para forças máximas de 20 e 30 toneladas, para tensionamento das cordoalhas de 12,7 mm e 15,2 mm, respectivamente. 

 

 
 

Acessórios

A Impacto oferece ainda acessórios para a montagem dos cabos na sua laje. As cordoalhas de protensão são conectadas à estrutura através das ancoragens e cunhas metálicas. E, para o isolamento total do cabo, utiliza-se tubos, caps e pocket forms.

cordoalha